Menu
14 de dezembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega Banner Pátio Central - Natal
Cultura

‘Pai’ de orquestras, maestro regerá show de Delinha

Eduardo Martinelli comandará Sinfônica Municipal em apresentação histórica amanhã

15 Jun2015Valdelice Bonifácio07h00
Eduardo Martinelli veio para Campo Grande dar aulas na UFMS e pretendia ficar apenas dois anos na Capital, onde já vive há 10 (Foto: Victor Chileno)
  • Maestro comandará 40 músicos, da Orquestra Sinfônica Municipal, durante show para gravação do DVD de Delinha nesta terça-feira, na Capital
  • Eduardo Martinelli veio para Campo Grande dar aulas na UFMS e pretendia ficar apenas dois anos na Capital, onde já vive há 10 (Foto: Victor Chileno)
  • Delinha, aos 78 anos, vai gravar o seu DVD Sinfônico nesta terça-feira, em Campo Grande (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo DD)
  • Martinelli ensaiou a Orquestra Sinfônica da Capital durante meses para a apresentação de amanhã (Foto: Victor Chileno)
  • (Foto: Victor Chileno)
  • (Foto: Kísie Ainoã/ Arquivo DD)
  • (Foto: Victor Chileno)

Sempre que é apresentado como maestro Eduardo Martinelli Danzi causa surpresa. Aos 37 anos, ele parece jovem demais para ser regente de uma orquestra. O músico começou cedo no ofício. Aos 20 anos, não só regia como montava grupos e orquestras musicais em São Paulo, trabalho que ele manteve em Campo Grande desde que chegou há 10 anos. Amanhã, dia 16, ele terá papel importante em um momento histórico na música sul-mato-grossense. Martinelli vai reger a orquestra que se apresentará no show de Delinha, a dama do rasqueado, no qual será gravado o DVD Sinfônico da artista.

O maestro comandará 40 músicos, da Orquestra Sinfônica Municipal, o principal grupo orquestral do Estado, enquanto Delinha cantará sucessos que marcaram época. “Vamos acompanhar a cantora em seis músicas, quase a metade do show. A primeira parte será com a banda dela. A orquestra deve acompanhar os clássicos como Por onde andei, o Sol e a Lua e Abismo do desejo”, cita. A orquestra se apresentará com violinos, violoncelos, viola sinfônica, contrabaixo, flauta transversal, clarinete, fagotes, trompetes e outros.

Foram meses de ensaio até que tudo estivesse ajustado para apresentação desta terça-feira. O show deverá contar ainda com participações especiais de Marcos Roker e da dupla João Bosco e Vinícius, que cantarão uma das músicas mais executadas de Delinha, Prazer de Fazendeiro. “Nossos últimos ensaios já provaram que será emocionante”, atesta o maestro.

Pai de orquestras – Martinelli é daqueles que aposta na música como um instrumento de avanço social. Sua primeira criação em Campo Grande foi a orquestra da Fundação Barbosa Rodrigues, que, aliás, é a origem de quase metade dos músicos da Sinfônica da Capital. O maestro tem participação direta em quase todos os projetos musicais em andamento na cidade.

“Meu foco são os projetos que acontecem no bairro onde as crianças moram, aqueles cujo ensino da música é gratuito”, destaca Martinelli, mencionando com o orgulho os projetos Viver Bem, do Bairro Nova Lima e a Filarmômica Jovem do Pantanal, um apanhado dos melhores alunos dos projetos sociais.

Martinelli é um músico eclético. Aos 13 anos, começou a tocar violão e depois vieram guitarra e cavaquinho. “Eu me envolvia sempre com diversos instrumentos. Mesmo quando me dediquei ao estudo da música erudita, eu fazia paralelamente vários trabalhos com música popular, como este que a gente está fazendo com a Delinha”, relata.

Show – O show Delinha: A vida que eu levo será amanhã,16 de junho, a partir das 19h30, no Palácio Popular da Cultura, no Parque dos Poderes, em Campo Grande. A apresentação é só para convidados.

Veja Também