Menu
21 de setembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Literatura

Obra do biólogo espanhol Ignácio Jiménez-Pérez será lançada em MS

Evento será no Sesc Morada dos Baís e contará com apresentação do musico Galvão

13 Set2019Da redação19h19

O livro Produção de Natureza, do biólogo espanhol Ignácio Jiménez Pérez, apresenta práticas que promovem desenvolvimento regional a partir da existência de áreas naturais bem conservadas, incluindo exemplos no Brasil. A obra também demonstra que regiões bem conservadas podem viabilizar empregos e renda e incrementar o desenvolvimento regional, tornando-se relevantes ativos econômicos, como o turismo de natureza.

Em Mato Grosso do Sul o evento acontece em Campo Grande no dia 17 de setembro, às 19h no Sesc Morada dos Baís e contará com apresentação do musico “Galvão”.

O conceito de “Produção de Natureza” foi desenvolvido a partir de um trabalho realizado ao longo de 13 anos em Esteros Del Iberá, na Argentina, onde Ignácio atuou pela instituição Conservation Land Trust (CLT). No caso argentino as reações contrárias à conservação foram contrapostas a partir do argumento de que para ser possível viabilizar empregos e renda, a geração de novos negócios e o desenvolvimento regional, são fundamentais a existência e a manutenção de grandes áreas naturais bem conservadas, com a presença de espécies topo de cadeia, como os grandes predadores e os herbívoros de maior porte. Essa abordagem torna a agenda da conservação algo facilmente assimilável pela maioria dos públicos de interesse. A percepção da oportunidade para garantir desenvolvimento regional com base na conservação também altera uma costumeira visão negativa sobre a necessidade de proteção de áreas naturais.

Dois projetos brasileiros se espelham na metodologia de Pérez, Grande Reserva Mata Atlântica e Alto Pantanal.

Alto Pantanal: Criado há três meses, reúne instituições e pessoas físicas que atuam na região pantaneira, como pesquisadores, empresários e a própria comunidade para, em conjunto, mobilizar a sociedade para as questões primordiais desse bioma. Um conjunto de importantes áreas protegidas, públicas e privadas entre o Mato Grosso do Sul e o Mato Grosso abre a perspectiva de ações incrementais de turismo envolvendo a geração de oportunidades de negócios e geração de renda local. A iniciativa tem à frente o Instituto Homem Pantaneiro (IHP) e a Rede do Amolar, que atuam em sinergia com os propósitos do projeto “Documenta Pantanal”.

Segundo o diretor do IHP, Angelo Rabelo, “o homem pantaneiro é a prova da possibilidade de uma coexistência de interesses num ambiente adverso. Há mais de 300 anos ele, talvez, tenha sido o primeiro produtor de natureza. A despeito de sua atividade econômica principal ser a pecuária, a fauna foi protegida no processo de ocupação que é, hoje, um exemplo para o mundo. O conceito da obra ‘Produção de Natureza’ acrescentará a esse paraíso possibilidades jamais imaginadas e que permitirão navegar em outros mares, trazendo um novo olhar e foco mundial ao ecoturismo da natureza com base nas exuberâncias locais”, diz.

Serviço – O Sesc Morada dos Baís fica na Avenida Noroeste, 5140. Informações pelo telefone (67) 3311-4300. O espaço bistrô é aberto às 18h30 e as apresentações musicais começam às 20h. Acompanhe a programação no site sesc.ms--.

Veja Também

Arte no Meu Bairro levará samba, axé e sertanejo ao Itamaracá
Romance divertido, peça Amor 1980 reestreia encantando público
Fim de semana tem espetáculos de dança gratuitos na Capital
Marco abre segunda temporada de exposições de 2019
Livraria doa 370 livros infantis para escola da Reme
Projeto Arte do Meu Bairro vai ao Dom Antônio neste sábado
Fernando Marson mostra seu talento em nova exposição da Energisa
Sertanejos de MS vencem concurso nacional de talentos
Confraria Sociartista terá sede em espaço cedido pela prefeitura
Escritora campo-grandense toma posse entre os imortais da literatura