Menu
24 de abril de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Cultura

Projeto Vertentes é atração na páscoa

Musicalidade especial no próximo domingo na Casa de Ensaio

17 Abr2019Da redação10h29

No próximo domingo (21), artistas de Campo Grande começam a participar do “Projeto Vertentes”, um coletivo de música que está gerando a primeira ação cultural na cidade, independente dos governantes. O patrocinado pela Engepar, foi criado no natal de 2018, através de uma iniciativa do músico Renato Teixeira, que agora reside em Dourados (MS), que sentiu a necessidade de unir músicos por cidades em grupos de whatsapp, afim de criar opções de trabalho e troca de informações entre os artistas. Ele propôs ao também músico ZéDu que criasse o grupo do Coletivo Campo Grande Música. O projeto acontecerá uma vez ao mês na Casa de Ensaio, reunindo sempre atrações de vários segmentos da música produzida na Capital. A primeira edição acontece neste domingo, às 18h, apresentando a vertente Folk com o Clube do Litoral Central, Maria Alice, ZéDu e Raphael Vital.

O grupo de whatsapp especificamente de músicos da cidade de Campo Grande, passou-se a debater assuntos relevantes à categoria musical e mais pessoas foram aderindo ao movimento, chegando hoje a 300 integrantes na maioria artistas, músicos e compositores, mas também com a participação de produtores, iluminadores, editoras, técnicos, representantes de órgãos políticos e jornalistas. Com a participação junto ao Sindicato de Músicos (Simatec) e dos Fóruns de Cultura, a integração se estendeu fora do whatsapp em reuniões presenciais que começaram acontecer e os projetos surgiram, sendo o Vertentes a primeira iniciativa do Coletivo Campo Grande Música de se criar um projeto de apresentações musicais que possa se tornar tradicional na cena campo-grandense.

FOLK - O Clube do Litoral Central é formado por Guga Borba, Jerry Espíndola, Ju Souc, Leandro Perez, Renan Nonato, Rodrigo Sater e Rodrigo Teixeira, todos músicos com carreiras individuais e conhecidos do público, unidos num trabalho que alinha canções de suas trajetórias em formatos diferentes e traz em cada apresentação surpresas sonoras.

Maria Alice, a cantora cearense-sul-mato-grossense, agita e participa da cena musical local desde os anos 1990. Dona de uma voz grave e de um extremo bom gosto na escolha de seu repertório, suas interpretações agradam o público. Ela apresentará canções do seu espetáculo "Sertões".

ZeDu, o “padrinho” do Coletivo, é cantor e compositor, além de apresentar o programa “Nossa Música é Assim”, uma referência sobre cultura do MS. Compositor de músicas conhecidas de nosso público, como "Dia e noite, noite e dia" e "Pequenos trechos", bem executada nas rádios do Mato Grosso do Sul. Em sua apresentação no Vertentes fará um apanhado de sua trajetória musical num show intimista.

Raphael Vital é violeiro da nova geração que já apresenta técnica e boas influências regionais, mineiras e nordestinas. Vindo de Três Lagoas, Raphael vem trabalhando seu show "Vaqueiros urbanos" com músicas campestres e urbanas e apresentará suas canções no Vertentes.

Veja Também

UFGD oferece oficinas gratuitas de violão, dança, artesanato e outras
Herdeira de indústria de alimentos publica romance
Sesc Cultura tem Clube de Conversação dia 30 de abril
Exposição que homenageia Lídia Baís
MS participa de debate sobre direitos de mulheres indígenas e afrodescendentes
Marco celebra 119 anos de Lídia Baís com programação gratuita
Samba, forró e rock no Sesc Morada na semana da Páscoa
Marco abre exposições com fotos, esculturas e gravuras do seu acervo
Fundação seleciona artesãos para Salão do Artesanato em Brasília
Sesc tem oficina de grafismo indígena e contação de história