Menu
20 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
II Congresso de Empresas Familiares
‘Campo Grande Na Tela’

O primeiro longa produzido na Capital

Websérie é veiculada pelo YouTube e traz a memória do audiovisual campo-grandense

4 Jul2018Da redação09h09

O projeto “Campo Grande Na Tela”, desenvolvido pela Marruá Arte e Cultura, está indo a cada uma das regiões da cidade para apresentá-las ao público através da websérie de 10 capítulos que está sendo veiculada no Youtube. Na segunda-feira (2), foi publicado o quinto episódio que nos mostra a região Prosa.

A websérie traz trechos de entrevistas com diretores, atores e produtores da cidade. O quinto capítulo revisita momentos da memória audiovisual campo-grandense, nos apresenta o Cine Cultura, Cine Trianon, Cine Acapulco e Cine Jalisco.

Também fala sobre o primeira longa-metragem feito em Campo Grande, “Paralelos Trágicos”, produzido pelos irmão Lahdo, que fez um tremendo sucesso na época, servindo de inspiração para outro grande filme nacional, “Bandido da Luz Vermelha”, além de ter atraído atenção de cineastas do mundo todo.

No episódio há entrevistas com o cineasta Joel Pizzini, que fala um pouco sobre “Paralelos Trágicos”, Abboud Lahdo, diretor da película e um dos responsáveis pela produção, que conta sobre como foi fazer o filme, sobre sua veiculação e quase censurado pelo regime militar.

Maíra Monan também faz parte do episódio, explicando como funciona a direção de arte numa produção audiovisual. O quinto episódio do “Campo Grande Na Tela” pode ser acessado através do link: https://goo.gl/ckRvSY.

Formato

A websérie é veiculada no YouTube, canal escolhido por ter grande apelo junto ao público jovem. “Temos necessidade de provocar uma maior interação com a juventude e de promover um alcance maior da produção audiovisual da cidade. O YouTube é uma plataforma dinâmica, onde os jovens recebem e criam conteúdos diversos que são propagados rapidamente. Buscamos aliar essa dinâmica ao conhecimento”, explica Belchior.

A apresentação é feita pelos estudantes Mariana Nogueira, de 14 anos, e Lucas Herrera, de 16 anos, que foram selecionados em chamada pública. Essa é a primeira experiência de ambos em frente às câmeras.

Depois de pronto, cada capítulo da websérie é publicado no YouTube. Após o término do projeto, a mesma continuará sendo acessada na web e também poderá ser incluída em programação televisiva, dependendo do impacto que tenha na sua veiculação inicial. Todos os episódios podem ser conferidos no canal da Marruá Arte e Cultura: https://goo.gl/cPgYh5.

Veja Também

Festival de Inverno de Bonito aposta na diversidade cultural
Pantalhaços tem apresentações e sucesso de público
Pri Queiroz é a voz de MS no Canta Comigo
Exposição fotoráfica propõe reflexão sobre tráfico humano
Projeto de universidade cria clube do livro em salão de beleza
Mostra de palhaços terá atrações de graça na Capital
Delegado lança livro no qual revela seus segredos de sucesso
Arraiá Ziriguidum acontece neste domingo
Cine Sesc exibe filmes brasileiros com temas sociais
Samba, forró, rock e blues no Sesc Morada dos Baís