Campo Grande •27 de Abril de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Segunda, 10 de Abril de 2017 - 19h19Cia Dançurbana realiza Mostra de Processos de ‘Poracê’ nos dias 12 e 13Projeto foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015

(Foto: Divulgação)

A concepção de um novo espetáculo de dança leva tempo e muita dedicação. São meses de estudo, preparação, desenvolvimento e testes de passos e movimentos, ensaios e mais ensaios, composição de trilha sonora, criação de figurino, entre outros.

Para compartilhar o processo de criação do inédito espetáculo ‘Poracê’, a Cia Dançurbana realiza duas Mostras de Processos; a primeira na quarta-feira (12), às 10 horas, na Ginga Espaço de Dança e, a segunda, na quinta-feira (13), às 20 horas, na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), na Capital. A entrada é gratuita.

O diretor e coreógrafo da companhia, Marcos Mattos, explica que a proposta das mostras é aproximar o público (interessados, artistas da dança, estudantes...) ao modo de trabalho da Cia Dançurbana, especialmente sobre este novo espetáculo.

“Queremos mostrar como estamos construindo ‘Poracê’, levar os processos de trabalho para mais perto das pessoas. Cada espetáculo tem uma forma própria, um tema diferente, uma pesquisa e técnicas de danças específicas. Gostamos muito desta aproximação com o público”, diz.

O espetáculo começou a ser criado em 2016. Durante sete meses, os três coreógrafos Marcos Mattos, Renata Leoni e Franciella Cavalheri junto aos seis intérpretes-criadores Adailson Dagher, Ariane Nogueira, Lívia Lopes, Maura Menezes, Thiago Mendes e Rose Mendonça mergulharam na produção de ‘Poracê’.

No tupi-guarani ‘Poracê’ significa Dança. E é com as danças e seus processos de criação que este espetáculo se envolve. Com as danças de três criadores, cada um com formações e experiências diferentes, e que por meio de um processo de residência artística, desenvolveram uma temática inspirada na gênese da língua Nheengatu ou língua Brasílica, uma miscigenação de línguas, o tupi-guarani, português e espanhol, que se entrecruzaram para o surgimento de uma linguagem.

Ou seja, assim como a Nheengatu foi criada com base em três línguas distintas, a linguagem de dança deste espetáculo foi construída por três profissionais com conhecimentos e bagagens desiguais.

A companhia debruçou-se sobre “uma ideia de dança de índios” (uma fabulação), algo que já estava no imaginário dos criadores. Marcos elucida que a parturição da língua pesquisada e a sua sonoridade, provocaram os coreógrafos e os intérpretes-criadores na incursão no universo indígena, traçando um paralelo com a criação dos movimentos das danças urbanas (tão influenciados pela sonoridade das letras (rap) e das batidas das músicas da cultura Hip Hop).

“Pesquisamos a aproximação desses modos de compor dança, música e movimento, em diálogo com o contexto local”, completa. Em cena, danças urbanas, dança contemporânea e técnicas de improvisação serão vistas nos movimentos.

A ideia apresentada no projeto inicial de um espetáculo nem sempre se concretiza, pois o caminho percorrido pela pesquisa, no processo de criação, muitas vezes leva para outro lugar, não previsto inicialmente. “Lançar-se no desconhecido, é isso que torna a arte tão provocadora e inspiradora”, finaliza Marcos. São questões como esta que a Cia Dançurbana compartilhará com os participantes das Mostras.

O projeto está sendo realizado por meio do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015 e Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança 2016. As apresentações do espetáculo acontecem em maio.

Serviço - as Mostras de Processos do espetáculo ‘Poracê’, da Cia Dançurbana, acontecem na quarta-feira (12), às 10 horas, na Ginga Espaço de Dança, na rua Brigadeiro Tobias, 956, bairro Taquarussu. E na quinta-feira (13), às 20 horas, na UEMS, na avenida Dom Antônio Barbosa (MS-080), 4.155, em Campo Grande-MS. Nos dois dias a entrada é gratuita. Outras informações pelo telefone (67) 9 9238-2829, pela fanpage www.facebook.com/paginadancurbana/?fref=ts ou pelo site www.dancurbana.com.br.

 

Veja Também
Fundação de Cultura emite carteira do artesão em Anastácio na Semana dos Povos Indígenas
Exposição mostra impactos do lixo na natureza
Quarta, 26 de Abril de 2017 - 09h23Uems recebe Semana Estadual dos Povos Indígenas Dias 28 e 29 de abril, os eventos serão realizados em Anastácio
Terça, 25 de Abril de 2017 - 09h22Segunda edição do ano do CineCafé no MIS exibe 8½, de Federico Fellini Exibição acontece às 19h de graça e os participantes podem trazer uma xícara para tomarem chá ou café
Terça, 25 de Abril de 2017 - 07h35Mostra no Museu do Amanhã, no Rio, tem inovações de 40 artistas brasileiros Mostra pode ser vista até 22 de outubro, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro
Segunda, 24 de Abril de 2017 - 12h35Segunda edição do ano do CineCafé no MIS exibe 8½, de Federico Fellini Exibição acontece às 19h de graça e os participantes podem trazer uma xícara para tomarem chá ou café
Teatro de rua e oficina de jogos teatrais gratuitos acontecem na Capital
Domingo, 23 de Abril de 2017 - 14h35Festival internacional leva pesquisadores para bares em maio Proposta é que seja mais dinâmico e que tenha mais discussões
Semana Pra Dança celebra 40 anos de MS com apresentações especiais e intercâmbio cultural
Domingo, 23 de Abril de 2017 - 12h05Dia do Choro celebra 120 anos de Pixinguinha e 100 anos de Carinhoso Evento que reúne vários músicos e amantes do ritmo
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento