Menu
13 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Campo Grande 120 Anos

Artesãs 'ceramizam' a história da Capital

Segundo a artesã Cybele, objetivo da exposição é levar Campo Grande mais perto das pessoas

7 Ago2019Byanca Santos - Especial para o Diário Digital14h19
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Artesãs transformaram em cerâmica os monumentos históricos de Campo Grande. O trabalho é uma homenagem aos 120 anos da Capital, comemorados em 26 de Agosto. As peças estão expostas na Galeria de Vidro na Plataforma Cultural. A mostra está sendo coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur).

As artesãs Cybele Almeida, Helaine D’Ávila e Lourdes de Jesus do Núcleo de Cerâmica são responsáveis pelas peças que representam a história da Capital.

Com monumentos históricos em formato de souvenirs, a Morada dos Baís, o Relógio da Rua 14 de Julho, a estátua de Manoel de Barros, a Zarabatana, o Carro de Boi, o Cavaleiro Guaicuru, a Maria Fumaça e até mesmo o Mercadão Municipal aproximam as pessoas da história da cidade segundo a artesã Cybele Almeida.

Cybele Almeida é artesã a mais de 20 anos e diz que o objetivo da exposição é levar Campo Grande mais perto das pessoas. “De uma forma simples conseguimos retratar o nosso cotidiano que por muitas vezes não valorizamos. Precisamos trazer esse lado humano da nossa cidade para dentro de cada um”, disse a artesã.

A exposição foi aberta ao público na sexta-feira, 2 de agosto e Cybele conta que durante o projeto ouvia as pessoas dizerem que Campo Grande não tinha monumento. “De uma forma resumida e alegre conseguimos mostrar a história da cidade. O monumento “Eu amo CG” eu fiz porque eu moro aqui e amo morar aqui”, afirma a artesã.

A produção das peças levou tempo. As artesãs queriam que todos os detalhes estivessem de acordo com a original e começaram o trabalho no ano passado.

A estátua de 50 cm do Manoel de Barros foi produzida em dois meses e Cybele conta que alguns monumentos não foram possíveis ser feitos, mas que serão realizados e estarão disponíveis na Praça dos Imigrantes.

A exposição ficará disponível na Galeria de Vidro na Plataforma Cultural até dia 10 de agosto e depois irá para o Bar Velfarre que realiza um projeto do potencial turístico da Capital.

Com algumas peças exclusivas, depois da exposição às peças estarão disponíveis para a compra na Praça dos Imigrantes.

Veja Também