Menu
26 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Campo Grande 120 Anos

Artesãs 'ceramizam' a história da Capital

Segundo a artesã Cybele, objetivo da exposição é levar Campo Grande mais perto das pessoas

7 Ago2019Byanca Santos - Especial para o Diário Digital14h19
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Artesãs transformaram em cerâmica os monumentos históricos de Campo Grande. O trabalho é uma homenagem aos 120 anos da Capital, comemorados em 26 de Agosto. As peças estão expostas na Galeria de Vidro na Plataforma Cultural. A mostra está sendo coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur).

As artesãs Cybele Almeida, Helaine D’Ávila e Lourdes de Jesus do Núcleo de Cerâmica são responsáveis pelas peças que representam a história da Capital.

Com monumentos históricos em formato de souvenirs, a Morada dos Baís, o Relógio da Rua 14 de Julho, a estátua de Manoel de Barros, a Zarabatana, o Carro de Boi, o Cavaleiro Guaicuru, a Maria Fumaça e até mesmo o Mercadão Municipal aproximam as pessoas da história da cidade segundo a artesã Cybele Almeida.

Cybele Almeida é artesã a mais de 20 anos e diz que o objetivo da exposição é levar Campo Grande mais perto das pessoas. “De uma forma simples conseguimos retratar o nosso cotidiano que por muitas vezes não valorizamos. Precisamos trazer esse lado humano da nossa cidade para dentro de cada um”, disse a artesã.

A exposição foi aberta ao público na sexta-feira, 2 de agosto e Cybele conta que durante o projeto ouvia as pessoas dizerem que Campo Grande não tinha monumento. “De uma forma resumida e alegre conseguimos mostrar a história da cidade. O monumento “Eu amo CG” eu fiz porque eu moro aqui e amo morar aqui”, afirma a artesã.

A produção das peças levou tempo. As artesãs queriam que todos os detalhes estivessem de acordo com a original e começaram o trabalho no ano passado.

A estátua de 50 cm do Manoel de Barros foi produzida em dois meses e Cybele conta que alguns monumentos não foram possíveis ser feitos, mas que serão realizados e estarão disponíveis na Praça dos Imigrantes.

A exposição ficará disponível na Galeria de Vidro na Plataforma Cultural até dia 10 de agosto e depois irá para o Bar Velfarre que realiza um projeto do potencial turístico da Capital.

Com algumas peças exclusivas, depois da exposição às peças estarão disponíveis para a compra na Praça dos Imigrantes.

Veja Também

Roda de tereré e muita música no Sesc Morada dos Baís
Sesc Cultura tem dramaturgia, clube de leitura e sessão de cinema
Pátio Central é endereço da arte e cultura
Sesc Cultura tem arte e cineminha para crianças de graça
Turnê do bailarino Thiago Soares fará seleção de dançarinos na Capital
Sesc Cultura realiza oficina de palhaçaria só para mulheres
Festival do Sobá tem atrações até domingo
Sesc Cultura abre inscrições para os cursos de arte
Companhia de dança leva oficinas e espetáculos a escolas públicas
Delinha se apresenta no Sesc Morada dos Baís