Menu
19 de novembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

O que é amor genuíno?

30 Out201823h21PorClaudia Malfatti

É o mais belo, aquele realmente verdadeiro. Sabe por quê? Porque é o amor incondicional. Raridade num mundo onde as relações estão tão superficiais e baseadas em trocas. Quando falo em genuíno quero dizer puro, não deixa de existir mesmo inacessível.

Tudo o que fugir disso pode chamar de qualquer outra coisa. Quando você gosta profundamente, respeita e aceita a decisão do outro, mesmo se essa pessoa nunca quis corresponder as suas expectativas ou até corresponde, mas resolve ir embora. A dor existe... inevitável. A diferença é que você continua torcendo pela felicidade do amado (a), ainda que esse (a) não te inclua no caminhar.

Percebo o amor genuíno cada vez mais escasso. Normalmente é condicionado. Se você me ama, te dou tudo. Caso contrário, sinto raiva e desejo o pior. Triste, mas real. Fora que muitas relações não passam de amores meia boca, envolto em apego e dependência. Caminham no estilo: permaneço aqui, sabe lá o motivo, apesar de estar ruim, mas já estou acostumado, vou ficando.... Só que o tempo passa, ou melhor, voa.

Agora, quando alguém tem dentro de si o amor puro e, por sorte, se depara com outro semelhante, acredito estarmos falando do encontro de almas. Existe troca, não ataque. Transborda carinho, respeito e incentivo. O entendimento mútuo, com conexão e afinidade.

Contato com a colunista: claumalfatti@hotmail.com