Menu
25 de setembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

As percepções diárias

8 Jul201810h07PorClaudia Malfatti

A rotina intensa muitas vezes nos “engole”. Acorda, toma café rapidinho, trabalha, almoça, trabalha novamente, estuda, cumpre vários outros afazeres e dorme. No outro dia, tudo de novo. Cada um com o seu cotidiano. Em que momento dessa correria nos perdemos e deixamos de reparar o entorno e até em nós mesmos? As belezas naturais da cidade pelo trajeto diário, a percepção de si. Percebo que a desconexão interna se intensifica muito numa época de tanta conexão tecnológica.

Pode parecer bobagem, mas não é. No corre-corre deixamos os detalhes tão importantes de lado. Temos que observar mais as crianças. Como para elas o simples é valorizado. Vejo pela minha sobrinha de cinco meses. Em seu período de descobertas, o chacoalhar dos galhos de árvore vira festa. O latido do cachorro, um sorriso. O barulho da água se transforma em sinfonia para os ouvidos.

Muitas vezes esperamos o período de férias para parar, relaxar e enxergar os prazeres da natureza e fazer o balanço da vida. Acostumamo-nos tanto aos ambientes que deixamos de explorá-los. Assim como podemos nos habituar as insatisfações internas e ignorá-las, empurrando para baixo do tapete. Em viagem para Congresso, em Fortaleza-CE, comentei com o motorista: “Nossa, que mar lindooo!!!“. Ele respondeu: “Você acha? Sabe que nem reparo mais, já acostumei.” O belo ficando comum.

Quem se permite ao autoconhecimento e busca o profissional psicólogo, reserva pelo menos uma vez por semana, durante 50 minutos, um momento para si. Os pacientes ora chegam esbaforidos, ora tristes ou contentes, das mais diversas formas. O diferencial é que tem um espaço para refletir, se escutar, encontrar as respostas diante de tantas dúvidas e angústias. Vejo como divisor de águas, antes e durante a psicoterapia. A percepção de mundo muda para melhor.

Precisamos buscar formas de nos reconectar à vida. Quais os prazeres que deixamos pelo meio do caminho? Valorizar as pequenas grandes coisas e acontecimentos. Desfrutar do simples fato de viver. Não apenas ver, mas enxergar. Como estão as suas percepções diárias?

Contato com a colunista: claumalfatti@hotmail.com