Menu
21 de janeiro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Agropecuária

Vazio sanitário da soja começa dia 15 de junho em MS

Objetivo é reduzir a quantidade de esporos da ferrugem durante a entressafra

13 Jun2018Da redação10h00

 Tem início no próximo dia 15 de junho, o período de vazio sanitário da soja, quando fica proibido o cultivo da leguminosa em Mato Grosso do Sul. O objetivo é reduzir a quantidade de esporos da ferrugem durante a entressafra diminuindo a possibilidade de incidência da doença.

Além de não plantar o grão, os produtores devem eliminar todas as plantas voluntárias – conhecidas como guaxas ou tigueras – nas propriedades, seja por meio de processos mecânicos ou químicos, e antes de plantar ele deve ficar atento ao prazo de cadastramento das áreas onde será feito o cultivo da soja.

Esse cadastro é obrigatório e os dados recebidos são mantidos no banco de informações da Iagro servindo de base para identificar o total de área plantada, prevenir os agricultores vizinhos quando houver foco da ferrugem por meio de alerta sanitário, além de facilitar as atividades da equipe da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

A Medida preventiva é uma estratégia de manejo para reduzir o inoculo nos primeiros plantios, diminuindo a possibilidade de incidência de ferrugem asiática no período vegetativo e, consequentemente, reduzindo o número de aplicações de fungicidas e o custo de produção. O período de 90 dias foi estabelecido considerando que o tempo máximo de sobrevivência dos esporos no ar, que é de 55 dias.

O descumprimento das normas do vazio, de acordo com a Lei, pode implicar em autuação da Iagro e multa de até mil UFRMS, que é a Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul. A unidade teve seu valor estabelecido para o mês de junho em R$ R$ 24,66.

Para sanar quaisquer dúvidas e prestar maiores esclarecimentos a agencia coloca à disposição do produtor um telefone: 0800 647 2788.

Histórico - Em 2006, a medida foi instituída em Mato Grosso, Goiás e Tocantins. Em 2007, foi publicada pelo Ministério da Agricultura a Instrução Normativa Número 2, instituindo o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja (PNCFS), no qual, entre outras diretrizes, ficou estabelecido que os Estados deveriam ter um calendário de semeadura de soja, com um período de, pelo menos, 60 dias sem a presença de plantas cultivadas ou voluntárias.

Hoje, além de Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal, outros dez Estados adotam o vazio sanitário como medida de controle da ferrugem asiática da soja: Rondônia, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, São Paulo e Tocantins.

Veja Também

Monitoramento via satélite auxilia resultados de pesquisas em lavouras de MS
Prazo para cadastrar áreas de soja termina nesta quinta-feira
Em MS estiagem diminui a expectativa de produção de soja em 11%
Estado prorroga período de plantio da soja para Bodoquena e Miranda
Chile abre mercado à carne bovina de todo MS
Campanha de vacinação contra aftosa já atingiu 99% do rebanho
Resíduos tóxicos Sistema vai rastrear vegetais frescos Objetivo foi monitorar e realizar o controle de eventuais resíduos de agrotóxicos em. Frutas e hortaliças
Safra Área de soja na Região Centro-Oeste dobrou em 11 anos A principal cultura da agropecuária brasileira teve forte crescimento
Chegada das chuvas favorece pastagem
MS colherá 10 milhões de tonelada de grãos