Menu
5 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Boa notícia

Suinocultura de MS bate recordes de produtividade

Desempenho é resultado de políticas públicas do Estado voltadas para o setor

5 Mai2020Da Redação09h25

A política agrícola do Governo do Estado para o fomento à suinocultura de Mato Grosso do Sul, implantada por meio da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) tem contribuído para que o setor obtenha reconhecimento nacional pelos índices de produtividade registrados em granjas no Estado.

A empresa Agriness reconheceu os principais suinocultores brasileiros, no quesito produtividade e o Estado recebeu o primeiro e o terceiro lugar na disputa, na categoria de 1001 a 3000 matrizes. O primeiro colocado é o vice-presidente da Associação Sul-matogrossense de Suinocultores (Asumas), Celso Philippi Junior, da Granja Colorado, que registrou a média de 36,25 desmamados por fêmea ao ano. A granja que ficou com a terceira posição nacional é a Jeroá Suínos, do ex senador da República, Levy Dias, que somou 34,71 desmamados por fêmea ao ano.

Na avaliação do secretário Jaime Verruck, da Semagro, o reconhecimento nacional da suinocultura sul-mato-grossense é decorrente de um tripé da política agrícola do Governo do Estado, composto por uma oferta maior de crédito para o setor, por meio do FCO, a recomposição do Leitão Vida, além da modernização do licenciamento ambiental da atividade, permitindo mais celeridade na emissão das licenças.

“Desde o ano passado, nós trabalhamos na alocação de recurso do FCO, específico para o setor, por considerar uma cadeia produtiva prioritária e em forte expansão em Mato Grosso do Sul. Foram R$ 200 milhões para o produtor de suínos, que tem feito com que tenhamos uma taxa de crescimento acima da média nacional”, comenta o titular da Semagro.

Ele lembra que “o trabalho feito em parceria com o setor, para a recomposição do Leitão Vida e modernização do licenciamento ambiental da atividade, tem sido fundamental nesse momento. “No Imasul, trabalhamos recentemente na emissão de 10 licenciamentos para empreendimentos de engorda e produção de matrizes, numa ação concentrada para permitir ao setor manter o seu nível de atividade de produção, seu planejamento de expansão, os níveis de abate e de emprego”, finaliza Jaime Verruck.

Para o presidente da Asumas, Alessandro Boigues, “É um orgulho ter esses resultados em Mato Grosso do Sul. Isso demonstra um crescimento vertical, decorrente de anos de pesquisa e dedicação dos suinocultores. O resultado também serve para inspirar outros que dedicam à atividade, mostrando infinitas possibilidades e maiores lucratividades que o setor pode estimular”.

 

Veja Também