Menu
13 de novembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner - AL/MS - Campanha Mudanças
Agropecuária

Produzir orgânicos é renda e saúde

Agricultor da Capital fugiu dos problemas de pele causados por agroquímicos e ganha mais dinheiro

31 Out2018Valdelice Bonifácio18h26
(Foto: Marco Miatelo)
  • Valter Neumann, de 49 anos, feliz na horta orgânica de onde tira seu sustento, no Bairro Nova Campo Grande
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Agricultor mostra a pele das mãos, prejudicada devido ao manuseio de agroquímicos
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

À luz do entardecer, Valter Neumann, de 49 anos, acompanha a irrigação das hortaliças, raízes e frutos que ele cultiva sem agroquímicos. A plantação é seu sustento, seu orgulho e sua saúde. Foi cultivando orgânicos que ele fugiu dos problemas de pele que surgiram quando cultivava lavouras à maneira convencional. Também foi comercializando sua produção natural que conquistou uma clientela cativa e desejosa de alimentos saudáveis.

Neumann mostra as marcas que contraiu nas mãos devido ao manejo dos agrotóxicos. A pele ficou espinhosa, mas ele garante que não adquiriu qualquer outro problema de saúde. Antes que isso ocorresse, deu uma guinada em seu modo de produzir alimentos e continuou vivendo do que mais gosta, a agricultura.

Ele aluga um terreno de pouco mais de um hectare na região do Nova Tiradentes, em Campo Grande, onde cultiva alface, rúcula, couve, cebolinha, cenoura, beterraba e outros. “Não uso qualquer produto. O adubo para a terra é natural, uso o esterco de galinha e de cavalo, por exemplo”, relatou.

Neumann está no local há 12 anos e descobriu que o orgânico é um negócio rentável. “O custo da produção é menor, por que eu não compro agroquímicos”, afirma. A água usada é de um poço aberto na área. “Não se pode usar água com cloro. Tem que ser a natural”, ressalta.

Ele não faz entregas. É a própria clientela que vem à horta para comprar os produtos. O produtor não revela números de sua produção, mas afirma que planta cerca de mil pés de alface por semana e 800 maços de rúcula, por exemplo.

Embora não se tenha números precisos da produção de orgânicos em Campo Grande e no Estado, é certo que a procura por estes alimentos tem crescido. MS tem 152 cadastros no Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) como agricultores orgânicos.

O local de cultivo e venda dos produtos de Valter Neumann fica na Avenida Oceania, 894, Bairro Nova Tiradentes.

Veja Também

Segurança jurídica será prioridade de Tereza Cristina
Tereza Cristina quer defender propriedade e frear
Reabertura do mercado russo beneficiará pecuária de MS
Campanha contra aftosa pretende imunizar oito milhões de animais
Ciência e consciência para manter a água limpa
Estado criará grupo para analisar emissão de nota fiscal por produtor
Irrigação viável e sustentável
MS inicia outubro com quase 90% da safra de soja comercializada
Desequilíbrio entre oferta e demanda  eleva preço do boi gordo em MS
JBS concede férias coletivas