Menu
26 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Agro

Preço médio pago por suínos cresce 12% em MS

Os dados são da CEASA – Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul

23 Jul2019Da redação14h51

No primeiro semestre de 2019 o valor médio do quilograma do suíno vivo no estado aumentou 12% em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo a analista técnica do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Eliamar Oliveira, o cenário é favorável. "A melhoria no preço do suíno vivo é reflexo do desempenho positivo da demanda", afirma.

Os dados são da CEASA – Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul que mostram que a média de preço passou de R$ 3,28 para R$ 3,68. Este é o tema do Mercado Agropecuário desta segunda-feira (22).

No primeiro semestre de 2019 houve retração de 1% nos abates, totalizando 927 mil cabeças e produção de 83,4 mil toneladas representando queda de 5,2% frente as 88 mil toneladas do igual período de 2018. É o que indicam as informações do MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que colocam o estado em 7º no ranking de produção de carne.

O volume de exportações em MS do produto in natura recuou 96%, segundo o MDIC – Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Para Eliamar Oliveira "A produção sul-mato-grossense está, predominantemente, voltada para o consumo interno enquanto outras Unidades da Federação atenderam a demanda do mercado externo, possibilitando ao Brasil aumentar as exportações em mais de 27%", explica a analista técnica.

Com informações da Famasul

Veja Também

Apicultores atendidos pelo Senar se preparam para a colheita do mel
Justiça manda leiloar fazenda de pecuária com 2.000 hectares
Seguro Rural pagou R$ 925 mihões e MS foi o 4º em recebimento
Safra recorde de milho pode ser ainda maior em MS
11,4 milhões de toneladas
Produção de grãos do país crescerá 27% na próxima década, prevê estudo do Ministério
China abre mercado para produtos lácteos
Levantamento da Embrapa quer conhecer demandas sobre pastagens
Demanda baixa mantém mercado do sebo pressionado
Vira lei projeto que beneficia comércio e fabricação de queijos artesanais