Menu
18 de junho de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Agropecuária

MS tem produção prevista de 9,6 milhões de toneladas de milho

Produtividade deve chegar a 85 sacas por hectare e a área está prevista em 1,918 milhão de hectares

6 Jun2019Da redação19h19

A projeção de uma supersafra para o milho no estado traz novos desafios para o setor agrícola”, a afirmação foi feita pelo presidente do Sistema Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, Mauricio Saito, durante o lançamento da colheita do cereal, 2ª safra, da temporada 2018/2019 e do vazio sanitário, realizado pela Aprosoja/MS - Associação dos Produtores de Soja e Milho de MS, nessa quinta-feira (06), na sede da Casa Rural, em Campo Grande.

A estimativa é de uma produção de 9,6 milhões de toneladas, com alta de 6% em relação à projeção inicial. A produtividade deve chegar a 85 sacas por hectare e a área está prevista em 1,918 milhão de hectares.

Saito ressaltou o empenho de instituições frente à expectativa anunciada. “Junto aos números pujantes de produção e produtividade, outros compromissos e metas surgem para serem alcançados. É neste ponto que destaco a ação de pessoas como o nosso vice-presidente, Luís Alberto Moraes Novaes, que preside a Comissão de Cereais, Fibras e Oleaginosas da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil. “Compartilho com os demais segmentos da sociedade, a importância desse grupo de trabalho que está totalmente embasado na ciência”, afirmou o presidente da Famasul referindo-se à Instrução Normativa n° 59 do MAPA, que trata sobre a prática de plantio de áreas de refúgio nas lavouras, à adoção do vazio sanitário e da calendarização da semeadura de soja, práticas importantes no combate à proliferação do fungo que ataca as lavouras da oleaginosa, dando mais eficiência no uso dos defensivos.

O presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke, contextualizou o cenário de grãos no estado. “Viemos de uma safra de soja precoce devido ao clima, conseguimos colocar o milho no melhor momento e onde apresentaremos elevação na produção deste cereal, que tem relevância sem igual, já que move a cadeia de suínos, aves, bovinos, por intermédio do confinamento, gerando uma carne de qualidade, referência nacional e internacional, além de trazer emprego e renda aos sul-mato-grossenses”.

A transformação social que o agro possibilita foi lembrada pelo Governador do Estado, Reinaldo Azambuja. “Bons resultados na agricultura ampliam oportunidades de produzir mais, agregar valor ao nosso produto, gerar chances de empregos e isso é fundamental! É gratificante ver o trabalho da Famasul, dos sindicatos rurais, da Aprosoja e dessa parceria que leva o estado a ser um dos que mais cresce no segmento, além de desenvolver também a agroindústria”.

Durante o evento, foi lançada a campanha do vazio sanitário vegetal em Mato Grosso do Sul. No intervalo de 90 dias que compreende 15 de junho a 15 de setembro, fica proibido o cultivo de soja. O plantio da oleaginosa acontece entre os dias 16 de setembro a 31 de dezembro.

O diretor-presidente da Iagro – Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal, Luciano Chiochetta, falou sobre o compartilhamento de informações entre as instituições. “O sistema de defesa agropecuária não atua sozinho, ele é composto pelo serviço público mas também pelo âmbito privado, e a gente precisa mesmo dessa atuação em conjunto. Espero que tenhamos bons resultados com essa soma de esforços para auxílio não só o produtor, mas também da atividade de fiscalização e controles que precisamos manter no estado”.

A Aprosoja/MS e a Iagro assinaram um termo de cooperação técnica visando maior integração entre produtores de soja e milho do estado e a agência estadual. O documento estipula a troca de informações via satélite e relatórios sobre a movimentação de defensivos agrícolas, além de garantir realização conjunta de cursos e treinamentos para fiscais, servidores, produtores e equipes técnica. 

Representatividade Rural: Durante o evento, o Governador do Estado, Reinaldo Azambuja, anunciou como novo diretor-presidente da Iagro o engenheiro agrônomo, Daniel Ingold, em substituição ao atual dirigente,  Luciano Chiochetta.

O presidente da federação, Maurício Saito, agradeceu ao governo por ter aceito a indicação do setor produtivo. “É uma questão de restruturação, mas é importante ressaltar que o Chiochetta durante todo esse tempo fez um excelente trabalho à frente da Iagro”.

Além das autoridades citadas, participaram do evento, o diretor-tesoureiro do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni; a 3ª diretora-secretária do Sistema Famasul, Tereza Zahran; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan; a diretora técnica do Senar/MS, Mariana Urt; o secretário de Gestão Estratégica,  Eduardo Riedel; o secretário da Semagro, Jaime Verruck; o superintendente da Semagro,  Rogério Beretta; o chefe-geral interino da Embrapa Gado de Corte, Ronney Mamede; o superintendente Federal de Agricultura em MS, Celso de Souza Martins; o presidente da Fundação Chapadão,  Ilton Henrichsen; o presidente da OCB/MS, Celso Régis e o superintendente da Conab – Companhia Nacional de Abastecimento, Nilson Azevedo Marques, entre outros representantes.

Veja Também

Campanha de vacinação contra aftosa encerra neste sábado em MS
Governo quer acabar com prazo para cadastro ambiental rural
Fiscais de MS vão ao PR conhecer trabalho de retirada da vacinação contra aftosa
Dia de Campo mostra tecnologias para milho safrinha em São Gabriel
Tereza Cristina quer Brasil com política agrícola definida
Prorrogado prazo para cadastramento de áreas para plantio de milho em MS
Informações sobre a safrinha em MS são divulgadas em material gratuito
Produtores de MS devem atualizar dados durante campanha contra aftosa
Agronegócio responde por 95,5% das exportações
Febre Aftosa Foi lançada hoje a campanha de vacinação contra aftosa Com previsão de imunizar 21 milhões de animais entre bovinos e bubalinos, a vacinação contra a febre aftosa tem início