Menu
20 de janeiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Cana-de-açúcar

Estiagem favoreceu aumento da moagem de cana-de-açúcar em MS

Em meses com pouca chuva foi possível processar mais matéria-prima sendo 86% para produção de etanol

16 Out2019Da redação15h20

A moagem da cana-de-açúcar em Mato Grosso do Sul alcançou 38,1 milhões de toneladas até 30 de setembro. O volume é 10% maior comparado ao mesmo período acumulado da safra anterior. Com relação à segunda quinzena de setembro, a quantidade da matéria-prima processada foi de 2,7 milhões de toneladas, 70% acima com relação a mesma quinzena de 2018. Os dados são do Acompanhamento Quinzenal da Safra 2019/2020 divulgado pela Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul).

De acordo com o presidente da Associação, Roberto Hollanda Filho, a estiagem nos últimos meses favoreceu o ritmo de moagem da cana. “Notamos que desde julho o volume de chuva nas regiões de lavoura foi abaixo da média dos últimos dez anos. Em setembro a estiagem se prolongou. Estes são fatores que estão permitindo as usinas darem um ritmo maior na moagem da matéria-prima”, afirma.

Com a colheita adiantada, segundo Hollanda, as unidades do Estado devem interromper a safra mais cedo. “Normalmente Mato Grosso do Sul tem unidades moendo nos doze meses da safra. Como o ciclo se encerra somente em março, é possível que as usinas que interromperem a moagem mais cedo, também retornem mais cedo, somando essa moagem ainda para a temporada 2019/2020”, explica.

De acordo com o acompanhamento da safra, apesar das mudanças climáticas no Estado, a qualidade da matéria-prima aparece com leve alteração. No período acumulado a concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana foi 1,23% menor com relação ao mesmo período da safra passada, registrando 134,95 kg. Na segunda quinzena de setembro, o indicador atingiu 147,44 kg, 4,6% acima do registro feito na mesma quinzena do ciclo anterior.

Etanol e Açúcar - A produção de etanol hidratado atingiu 2,1 bilhões de litros, volume 19% acima do mesmo momento da safra passada. Na quinzena, a produção do biocombustível foi de 170 milhões de litros, com percentual de 97% comparado à mesma quinzena do ano anterior, que produziu 86 milhões de litros de hidratado.

No período acumulado da Safra a produção de etanol anidro segue em baixa, com 506 milhões de litros produzidos até 30 de setembro. Considerando somente a última quinzena de setembro, a produção de anidro registrou saldo positivo, com 46 milhões de litros, volume 65% acima da mesma quinzena em 2018. Ao todo, de abril a setembro, o Estado já produziu 2,6 bilhões de etanol.

A produção do açúcar ainda segue abaixo do ciclo passado. De acordo com os dados da Biosul, foram produzidos 660 milhões de toneladas do alimento, uma diferença de 11%. Já na quinzena, a produção de açúcar teve saldo positivo com 32 mil toneladas, quantidade 10% maior com relação à mesma quinzena de 2018.

Mix de Produção - No mix de produção, 86% da matéria-prima processada nesta safra foi destinada para etanol. Na quinzena, esse percentual atingiu 91% para a produção do biocombustível, enquanto 9% foi destinado para açúcar.

 

 

Veja Também

Previsão de nova safra recorde
Semagro discute criação do fundo privado em defesa da agropecuária de MS
Fundo privado em defesa da agropecuária de MS deve ser criado
Moagem de cana atinge 44 milhões de ton em MS
Embrapa alerta para geada em junho no Estado
Produção de grãos do país na safra 2019/2020 deverá ser recorde
Produção de soja safra 2019/2020 será de quase 10 milhões de toneladas
MS é o segundo maior produtor de florestas plantadas de eucalipto
Caixa reduz em até 54% taxas de juros do crédito rural
Dezembro se encerra com queda média de 15% na cotação da arroba do boi gordo