Menu
24 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Agropecuária

Com clima favorável, plantio de soja é concluído em MS

Desenvolvimento das lavouras está satisfatório, plantas estão bem nutridas

8 Dez2017Da redação14h56

O plantio de soja da safra 2017/2018 em Mato Grosso do Sul está concluído, de acordo com a Circular Técnica n° 238 do Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio). As informações, divulgadas pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul), apontam que, de forma geral, o desenvolvimento das lavouras está satisfatório, as plantas aparentam estar bem nutridas e o clima é favorável para seu desenvolvimento.

Na região norte, que compreende os municípios de Sonora, Costa Rica, Chapadão do Sul e Pedro Gomes, atualmente o manejo do capim amargoso e buva tem sido de difícil controle. Em relação às pragas, há registro de lagartas entre média e alta incidência, e percevejo entre baixa e média incidência. Não há ocorrência de doenças na região no momento. Mas, apesar dessas ocorrências de pragas e plantas daninhas, o desenvolvimento da cultura segue com normalidade.

Em áreas do sudoeste de Mato Grosso do Sul, nas cidades de Maracaju, Sidrolândia, Anastácio, Bonito e Jardim, há manifestação das mesmas plantas daninhas e alguns produtores estão fazendo controle com capina manual e arranquio. Há baixa incidência de lagartas e alta incidência de percevejo, mas sem manifestação de doenças. Mesmo com a alta incidência de percevejo no momento, as lavouras aparentam estar bem nutridas e o clima é favorável para seu desenvolvimento.

Desenvolvimento - Na área que compreende os municípios de Bandeirantes, Jaraguari, São Gabriel do Oeste, Rochedo e Nova Alvorada do sul, centro do estado, além do capim amargoso e da buva registrados também ao norte, há incidência de capim pé de galinha, que também tem sido de difícil controle. No que diz respeito às pragas, há baixa ocorrência de caramujo e percevejo, e média incidência de lagartas. Não há registro de doenças no momento.

Ao sul do estado, nos municípios de Rio Brilhante, Itaporã, Douradina e Dourados, as plantas daninhas também têm dado trabalho no manejo, e há baixa incidência de lagartas, percevejo e pulgão, assim como de doenças. A mesma realidade se repete no sudeste de Mato Grosso do Sul, nas cidades de Jateí, Novo Horizonte do Sul, Iguatemi e Mundo Novo. Mesmo assim, as lavouras também aparentam estar bem nutridas e o clima tem contribuído para o desenvolvimento das plantas.

Na região de fronteira, ao sul, que compreende Laguna Carapã, Ponta Porã e Aral Moreira, foi registrada a presença de capim amargoso e buva, com incidência entre baixa e alta; e com manejo de difícil controle. A ocorrência de pragas é baixa, tanto de lagartas, cigarrinha, pulgão e percevejo. Não há ocorrência de doenças na região no momento e as lavouras também continuam se desenvolvendo bem e com clima favorável.

Estimativas - Para a 1ª safra de soja 2017/2018, a estimativa da Aprosoja/MS é que o estado tenha área de 2,5 milhões de hectares e alcance volume de grãos de 8,3 milhões de toneladas e produção total, com produtividade projetada na média de 54,0 sc/ha. Outros dados detalhados por município podem ser conferidos na íntegra, na Circular Técnica disponível na aba SigaWeb, no site da Aprosoja/MS.

Veja Também

Colheita do milho safrinha será lançada na segunda-feira em MS
Queda  na produção fará preço do leite subir em MS
Famasul elege nova diretoria neste sábado
Conab inspeciona condições de armazenagem de produtos
Vazio sanitário da soja começa dia 15 de junho em MS
Prazo para quitar dívidas do crédito fundiário está terminando
Plano Safra libera recursos a partir de 1º de julho
Rally da Safra 2018 finaliza avaliação de safrinha em MS
Extendido prazo para inscrições do CAR
Prazo para vacinação contra a febre aftosa é prorrogado em MS