Menu
22 de julho de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega banner  Ministério  da Saúde - HEPATITE VACINAÇÃO E TESTE
Sanidade animal

Campanha de vacinação contra aftosa encerra neste sábado em MS

Dados preliminares apontam que campanha imunizou 90% do rebanho no Planalto e Fronteira

15 Jun2019Da redação11h51
Chega ao fim, neste sábado (15.06), em Mato Grosso do Sul, o prazo para que os produtores da região do Pantanal realizem a vacinação obrigatória de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa, finalizando assim a campanha, que para essa região, considerando suas peculiaridades, pode ser realizado em maio ou novembro, e para as regiões do planalto e fronteira terminaram em 31 de maio.
 
Neste mesmo período os pecuaristas tiveram a oportunidade de atualizar o cadastro do rebanho, pagando uma taxa diferenciada pelo excedente, sem que fosse gerado auto de infração.
 
O fechamento parcial da campanha, com dados recebidos até esta sexta-feira (14) e divulgado pela equipe da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) mostra que nas regiões do Planalto e Fronteira os números ultrapassaram os 90% de alcance, e na região do Pantanal onde o pecuarista pode optar por vacinar em maio ou novembro, mais de 70% realizou a ação conforme números que seguem, abaixo:
 
Região Propriedades Rebanho envolvido % do rebanho declarado vacinado
Planalto 50.930 16.169.307 92,80%
Pantanal 1.702 3.108.441 70,33%
Fronteira 4.393 696.638 93,35%
 
Até o fechamento desta matéria ainda existiam 1.926.212 doses de vacinas comercializadas mas, não declaradas no sistema da Agência, que contribuirão para mudança nos números finais de fechamento da campanha.
 
O registro de vacinação para pecuaristas das regiões do planalto e fronteira encerram neste sábado. Já o registro para a região do Pantanal vai até dia 30 de junho.
 
Na próxima segunda-feira, dia 17, a equipe da Iagro deve apresentar os números finais da campanha ( fronteira e planalto, já que o pantanal ainda terá 12 dias para o registro) . Segundo o Coordenador do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção de Febre Aftosa – PNEFA, o fiscal estadual agropecuário e médico veterinário, Fernando Endrigo Ramos Garcia, a expectativa é que os pecuaristas de Mato Grosso do Sul (Estado que nos últimos cinco anos figura entre os cinco com os melhores números em todo País) alcancem novamente índices superiores a 99%.
 
Atualização de dados -  Ao acessar o sistema da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), o E-Saniagro, para realizar o registro de vacinação, os pecuaristas puderam atualizar o número de animais que compõe o seu rebanho, seja de bovinos ou bubalinos. A partir de agora é preciso colocar em dia também as informações sobre a propriedade.
 
A Atualização do Cadastro da Agropecuária e do Estoque de Animais Bovinos e Bubalinos atende uma das mais de cem exigências do Ministério da Agricultura para que o Estado esteja apto para retirada da vacinação contra a febre aftosa, prevista para 2021, constantes no Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, que resultará no reconhecimento do Estado como ‘livre de febre aftosa sem vacinação’ até 2023, condição para abertura de novos mercados e consequente crescimento da economia de Mato Grosso do Sul.
 
Considerando que a mudança de status, depende de outras ações e demandam recursos que vão além dos já destinados aos serviços de sanidade atualmente, o Governo do Estado autorizou, através da mesma lei, que os valores arrecadados com o pagamento da taxa de atualização sejam repassados para um Fundo, criado dentro dos padrões exigidos pelo Ministério.
 
A Reserva Financeira para as Ações de Defesa Sanitária Animal (Refasa), é um fundo estratégico com conceito mais amplo do que apenas a indenização no caso de sacrifico de animais para erradicação de doenças, que pode custear ações preventivas no processo de defesa sanitária, como a implantação de boas práticas agropecuárias, focada na defesa animal, e estruturação, realinhamento, atualização e capacitação dos servidores da agência, a estruturação do laboratório de diagnóstico e defesa da Iagro, ou o reforço nas operações para fiscalização do trânsito em regiões específicas do Estado, proporcionando para a agência autonomia e agilidade e, para o produtor, ainda mais segurança.
 
A declaração do estoque efetivo e dos dados da propriedade devem ser feitas, por meio eletrônico, mediante acesso ao Sistema de Atenção Animal da IAGRO (e-SANIAGRO), disponibilizado no site oficial da agencia, www.iagro.ms.gov.br.

Veja Também

Demanda baixa mantém mercado do sebo pressionado
Vira lei projeto que beneficia comércio e fabricação de queijos artesanais
Produção de milho em MS deve ultrapassar 10 milhões de toneladas
Governo do Estado confirma parceria na realização da ExpoMS Rural
1ª Feira Sicredi do Agronegócio gera mais de 15 milhões em negócios
Exportação da carne bovina cresce 60% no primeiro semestre de 2019
Peso de bezerros entregues por fazendas de recria cresce 12%
Em MS, exportação da carne bovina cresce 60% no primeiro semestre de 2019
Captação de leite cai em MS na comparação com 2018
1ª Feira Sicredi do Agronegócio traz oportunidades aos produtores rurais